26 abril, 2017

Ninguém consegue escapar das próprias mentiras





Cilada
Harlan Coben
Literatura estrangeira - suspense 


SINOPSE


"Harley Mc Waid tem 17 anos. É uma aluna exemplar, disciplinada, ama esportes e sonha entrar para uma boa faculdade. Por isso, quando certa noite ela não volta para casa e três meses transcorrem sem que de tenha nenhuma notícia dela, todos na cidade começa a imaginar o pior.


O assistente social Dan Mercer recebe um estranho telefonema de uma adolescente e vai a seu encontro. Ao chegar ao local, ele é surpreendido pela equipe de um programa de televisão, que o exibe em rede nacional como pedófilo. Inocentado por falta de provas, Dan é morto logo em seguida. 

Na junção dessas duas histórias está Wendy Tynes, a repórter que armou a cilada para Dan e que se torna a única testemunha de seu assassinato. Wendy sempre confiou  apenas nos fatos, mas seu instinto lhe diz que Mercer talvez não fosse o culpado. Agora ela precisa descobrir se desmascarou um criminoso ou causou a morte de um inocente. "

RESENHA


 Meu primeiro livro do Harlan Coben e gente, esse autor é maravilhoso! Este foi um livro que eu não conseguia parar de ler de tanto que a história me prendeu. Coben, mostra que nem sempre o suspeito é aquele que está na nossa convivência. O que acontece com Dan é muita injustiça e o sumiço da Harley chega a ser um pouco "banal". Coloquei entre aspas por ser sério e ao mesmo tempo "Han" e deixa um ponto de interrogação  bem grande na nossa mente e aí te prende mais ainda. E sim, são duas histórias porém com tudo ligado. Harlan mostra através da história que orgulho, ódio, manter as aparências na sociedade não afeta só a si mesmo mas afeta todos em sua volta. Ser pais bacana e modernos não é tão legal, assim como ser superprotetores.  Pedir perdão ao seu passado dará uma boa caminhada para o seu futuro e lutar pela verdade, é o que deve ocorrer. 
Foi um livro que me tirou ar, fome e sono. Não enrolem, apenas leiam! 

Nota: 10

20 abril, 2017

Até onde devemos ir em nome do amor?




A escolha
Nicholas Sparks
Literatura estrangeira - Romance 

SINOPSE

 "A escolha conta a história de duas pessoas bem diferentes: Gabby, uma mulher da Carolina do Norte (EUA), que sempre obedeceu aos pais, comportou-se bem e nunca arranjou muito tempo para si, e Travis, o veterinário da cidade, que adora viver nos extremos, com seus esportes radicais.

Acontece que Gabby e Travis têm algo em comum: são vizinhos e amam cachorros. Ele tem um boxer gigante e ela, um border collie. E, graças aos cães, os vizinhos se  conhecem.

No entanto, apesar de suas tentativas, Travis não consegue agradar a linda ruiva Gabby, que, definitivamente, parece não gostar dele.

Até o dia em que resolvem tentar de novo e se conhecer começando pelo "oi". A partir daí, a relação entre os dois muda completamente."

RESENHA

Sabemos que a maioria dos livros de Sparks é sempre aquele clichê." A Escolha " não muda muita coisa porém, é uma história bem interessante. Nós, mulheres, sempre nos irritamos com aquele "crush" que se acham o rei da cocada preta e dono na verdade. É o que acontece com Gabby ao descobrir que sua cadela vai à casa de Travis. Ela fica furiosa por saber que o cão de Travis, o Moby, engravida sua cadela, Molly. E daí, começa aquelas implicâncias, ignorâncias até que, Gabby entra numa clínica veterinária e dá de cara com Travis e resolvem ter um recomeço. A história de amor deles começa no instante em que Gabby e Travis se olham na clínica. 
O bom desta história é que os cães participam da mesma forma que os protagonistas, Travis uma pessoa que conversa com Moby como se ele fosse um ser humano, assim como Gabby. A única coisa que eles têm em comum é o amor pelos  cães, mas, os opostos se atraem. 
Recomendo para quem ama um romance grude e para quem gosta de animais. Não é o meu livro preferido mas gosto muito da história. 

Nota: 8

As histórias da beira do cais da Bahia






 Mar morto
Jorge Amado
Literatura brasileira- Romance

SINOPSE




" É a história de amor de Guma e Lívia, vivida entre o cais e as ondas, contada por um homem da terra que soube entender o coração dos marinheiros - homens que veneram Iemanjá, mas não conhecem todos os mistérios do mar. A imensidão azul que testemunha a paixão e garante o sustento é a mesma que rouba a vida engole seus filhos para sempre. "

RESENHA

Mar morto assim como outros lvros de Jorge Amado, é bem carregado. A leitura não é fácil porém não é impossível de entender. Cada página do livro, Amado aborda uma situação diferente mas sempre falando da beleza de Ilhéus e suas lendas. Este livro é um tipo de romance que não é só voltado para o casal protagonista (Guma e Lívia), ele mostra o romance de todos os personagens dos livros, inclusive daqueles que são apaixonados pelo mar. A personagem que mais me chamou atenção foi a "Rosa Palmeirão", ela, junto com a sua navalha, mata todos os seus desamores. Uma mulher guerreira que não deixa nenhum homem se aproveitar  de si. 
Amado fala dos orixás no livro mas não aprofunda no assunto entretanto, para quem conhece, ao decorrer da leitura, acaba identificando os personagens com alguns deles.
Mar morto não é um livro religioso, é um romance envolvendo as águas, amor ao próximo e lendas, um romance que fala do amor de Jorge Amado por Ilhéus. Recomendo, principalmente para pessoas que não são fãs de livros nacionais, vale muito a pena fazer um esforço para lê-lo. 

Nota: 10